A crise do Rio vai explodir. É questão de dias

Por Fernando Brito, Tijolaço

Jorge Picciani era o único político com cacife hoje, no Rio de Janeiro, para criar algum equilíbrio administrativo, porque controlava a maioria no poder que chefia, a Assembléia Legislativa.

Portanto, o único apto a cumprir os compromissos que assumia.

Pode ser que ainda tenha até condições de continuar controlando o voto dos deputados, mas não pode negociar com ninguém, porque não haverá ninguém disposto a negociar com ele, como ontem, na véspera de sua visita à Polícia Federal.

Tantnto é que foi ele, ontem, e não Pezão, quem foi discutir com Temer  – e sem sucesso – a necessidade de socorro ao Rio.

Que ficou mais longe, hoje, com a decisão de adiar a votação, na Câmara,  do pacote de chantagens ao qual o Governo Federal condiciona a ajuda.

Os bloqueios ao repasse de recursos constitucionais continua.

Os “intocáveis” – juízes e promotores –  vão bloquear o que resta, para não ficarem sem receber.

Agora à tarde,  desembargador José Roberto Lagranha Távora, do  Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro concedeu mandado de segurança ao Ministério Público do Estado, determinando que Luiz Fernando Pezão repasse o valor de R$ 92,6 milhões para os pagamentos  de março deste ano.

É bom que consigam pagar os policiais militares, logo.

Estão brincando com uma tragédia na segunda maior cidade do país.

Leia::  Debate na UFMG expulsa MBL e inaugura o fim da tolerância com os fascistas

One comment

  1. Hi There! We are searching for some people that are interested in from working their home on a full-time basis. If you want to earn $100 a day, and you don’t mind writing some short opinions up, this is the perfect opportunity for you! Simply check out the link here NOW!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *