Atores globais se rebelam contra golpe da Globo e reformas de Temer

Nas redes sociais, os atores Alinne Moraes, Paulo Betti, Tata Werneck, Suzy Rêgo, Herson Capri, entre outros, publicaram fotos com suas carteiras de trabalho e usaram as hasthags #somoscontraareformatrabalhista e #nãodecidampornósporquetemosvoz, em protesto contra as medidas do governo Temer que retiram direitos dos trabalhadores, e que são apoiadas pela própria TV Globo; “O trabalhador merece respeito! Afinal, é ele que faz o país andar!”, postou Nathalia Dill; “Sem ouvir todos os lados interessados não geraremos os empregos com a dignidade necessária”, lembrou Taís Araújo

Do Brasil 247

Atores globais se rebelaram contra as reformas trabalhista e da Previdência, propostas pelo governo Temer, que retiram direitos dos trabalhadores e que são apoiadas pela própria TV Globo.

Pelas redes sociais, os atores Alinne Moraes, Paulo Betti, Tata Werneck, Suzy Rêgo, Herson Capri, entre outros, publicaram fotos com suas carteiras de trabalho e usaram as hasthags

#somoscontraareformatrabalhista e #nãodecidampornósporquetemosvoz.

“Desde os meus 17 anos, contribuo com a previdência. Pago todos os meus impostos. Me sinto um idiota por não ter nada de volta, porém sou um burguesinho, sempre dopado pela minha condição de ter um salário muito acima da média. Mas não posso omitir, como cidadão, a minha opinião a respeito da Reforma da Previdência”, escreveu Lúcio Mauro Filho em sua conta no Instagram.

Taís Araújo lembrou do “aniversário” da CLT, que completou 74 anos, e defendeu o diálogo para promover as mudanças na legislação. “Sabemos da necessidade de aprimorar esse conjunto de leis, mas não podemos esquecer sua principal função: assegurar os nossos direitos, os direitos dos trabalhadores. Sem debate e reflexão não podemos avançar. Sem ouvir todos os lados interessados não geraremos os empregos com a dignidade necessária”, disse.

Leia::  Maioria entre gamers no Brasil, mulheres enfrentam preconceito e assédio

“O trabalhador merece respeito! Afinal, é ele que faz o país andar!”, publicou Nathalia Dill. Caio Paduan pediu “absoluta igualdade de oportunidades, condições de trabalho e respeito no mercado para todos os cidadãos brasileiros independente de sua classe social, raça, gênero e orientação sexual”.

A reforma trabalhista já foi aprovada na Câmara e tramitará agora em três comissões do Senado Federal, antes de passar pelo plenário da Casa. A reforma da Previdência foi aprovada em comissão especial da Câmara nesta quarta-feira 3 e não tem nada exata para ir a plenário.

Com informações do Portal Vermelho

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *