Cinemas nos EUA exibirão “1984” em protesto contra Trump

Adaptado para o cinema em 1984, o romance de Orwell é usado para criticar era Trump

Mais de 180 salas projetarão a adaptação da obra de George Orwell em 4 de abril. Escrito em 1949, livro relata a vida em um Estado totalitário

por Deutsche Welle

Mais de 180 salas de cinema nos Estados Unidos exibirão o filme 1984, baseado no romance homônimo de George Orwell, em reação ao governo do presidente Donald Trump. Por trás da ação, marcada para o próximo dia 4 de abril, estão os organizadores do festival cinematográfico Capital City Film Festival, de Lansing, no estado do Michigan.

“O retrato de [Geroge] Orwell de um governo que fabrica seus próprios fatos, exige total obediência e demoniza inimigos estrangeiros, nunca foi tão atual”, lê-se na página do evento.

O filme será exibido em 165 cidades em 43 estados americanos, assim como em cinemas no Canadá, na Inglaterra, na Suécia e na Croácia. Parte do dinheiro arrecadado será destinada a um centro de apoio de refugiados.

O filme britânico será exibido no dia 4 de abril porque essa é a data em que o protagonista da trama de Orwell, Winston Smith, inicia um diário. O diretor do filme, Michael Radford, filmará uma introdução e um debate para serem mostrados junto com o filme, segundo a revista americana Variety.

O romance distópico 1984 se passa num Estado autoritário, que é liderado pelo Big Brother (“Grande Irmão”). A vigilância é onipresente, e a opinião pública é manipulada.

No Estado descrito por Orwell, a vigilância é onipresente e a opinião pública é manipulável (IMDb)

De início, o protagonista tenta resistir ao sistema, mas, eventualmente, devido a torturas e lavagem cerebral se torna um convicto partidário do regime. A obra foi escrita em 1949 e adaptada para o cinema justamente em 1984.

Leia::  Sabatella: 'Feminismo liberta homens e mulheres'

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *