Gilmar diz que é hora de soltar presos por Moro


.Projeto para estancar a sangria da Lava Jato segue a pleno vapor; depois da indicação de Alexandre de Moraes para o Supremo Tribunal Federal, após a morte do ministro Teori Zavascki, Gilmar Mendes desferiu duras críticas às prisões preventivas na sessão desta terça-feira 7 da Segunda Turma do STF; ele as chamou de “alongadas prisões que determinam em Curitiba”, um dia antes de o plenário do Supremo julgar um habeas corpus em que a defesa de Eduardo Cunha pede para que o ex-deputado seja solto

por Brasil 247

O projeto para estancar a sangria da Lava Jato segue a pleno vapor em Brasília. Depois da indicação de Alexandre de Moraes, ministro da Justiça de Michel Temer, para o Supremo Tribunal Federal, após a morte do ministro Teori Zavascki, Gilmar Mendes desferiu duras críticas às prisões preventivas na sessão desta terça-feira 7 da Segunda Turma do STF.

Ele as chamou de “alongadas prisões que determinam em Curitiba”, um dia antes de o plenário do Supremo julgar um habeas corpus em que a defesa de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) pede para que o ex-deputado seja solto. “Temos que nos posicionar sobre este tema que conflita com a jurisprudência que desenvolvemos ao longo desses anos”, prosseguiu o ministro.

Leia::  O tucano, agora, é Bolsonaro

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *