“Lula preso elege qualquer um em 2018”, diz ex-ministro Nelson Jobim

Do Jornal GGN

O ex-ministro do Supremo Tribunal Federal Nelson Jobim disse, segundo reportagem do Valor desta segunda (3), que a Lava Jato provocará impactos desconhecidos na eleição de 2018, surpreendendo quem acredita que uma eventual prisão de Lula pode tirar a esquerda do tabuleiro político. Na visão de Jobim, o capital do ex-presidente da República é tão grande que ele elege “qualquer um”, mesmo que seja preso.

“Há uma questão prática: o presidente Lula preso elege qualquer um, em 2018, principalmente o Ciro Gomes”, disse Jobim. “A questão da corrupção tem que ser tratada com lucidez porque não se constrói o futuro retaliando o passado”, acrescentou. “É bom ter presente que o Judiciário trata do passado. Ele aplica penas ao passado que se cumprirão no futuro. Mas o Judiciário não resolve o problema do futuro. Não se constrói o futuro com sentenças.”

Segundo o Valor, Jobim também avaliou que o Tribunal Superior Eleitoral tem margem para separar o julgamento de Dilma Rousseff e Michel Temer na ação de cassação, que começa nesta terça (3). Caso a ideia emplaque, Dilma perderia os direitos políticos e Temer permaneceria no poder.
“Ao se verificar a existência de captação ilícita de recursos para campanha, os ministros teriam que identificar quem cometeu essas irregularidades dentro da chapa. Isso levaria a uma separação dos sistemas de arrecadação do PT e do PMDB. A consequência é que poderiam ser imputadas penas diferentes a Dilma e Temer”, apontou o jornal.
Leia::  A mensagem mais importante da nova pesquisa da praça

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *