Manuela pode desistir pela ‘unidade’, mas cobra outros candidatos

A pré-candidata do PCdoB, Manuela d’Ávila, admite a possibilidade de desistir de sua candidatura já no primeiro turno em nome de uma união de partidos de esquerda; seu gesto, no entanto, está condicionado a decisões de PT, que tem Lula como candidato, do PDT, de Ciro Gomes, e do PSOL, de Guilherme Boulos; “Nós já fizemos o gesto. Se eu não for candidata, os outros três se entendem para nós estarmos unidos? A unidade da esquerda representa isto: nós estaremos todos unidos em uma única candidatura? Os outros três têm essa disposição? Eu não sou óbice”, disse a deputada ao Estadão/Broadcast

Do Brasil 247

A pré-candidata do PCdoB, Manuela d’Ávila, admite a possibilidade de desistir de sua candidatura já no primeiro turno em nome de uma união de partidos de esquerda. Seu gesto está condicionado a decisões de PT, que tem Lula como candidato, do PDT, de Ciro Gomes, e do PSOL, de Guilherme Boulos.

“Nós já fizemos o gesto. Se eu não for candidata, os outros três se entendem para nós estarmos unidos? A unidade da esquerda representa isto: nós estaremos todos unidos em uma única candidatura? Os outros três têm essa disposição? Eu não sou óbice”, disse a deputada estadual, em entrevista ao Estadão/Broadcast.

Ela acrescentou que o PCdoB não abrirá mão da candidatura própria se os outros partidos não aceitarem fazer o mesmo. Depois de participar de um fórum sobre reforma tributária nesta segunda-feira, ela comentou também que conversa com Ciro assim como conversa com outros presidenciáveis de esquerda.

Em sua avaliação, é inadequada a “troca de farpas” entre os pré-candidatos da esquerda. “Os problemas do País são infinitamente maiores do que as nossas diferenças.” Apesar do gesto, Manuela acredita, no entanto, que “provavelmente” PCdoB, PT, PDT e PSOL continuarão sendo oponentes na disputa.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *