MPF pede prisão para mulher de Eduardo Cunha, que pode delatar

Procuradores que atuam na Operação Lava Jato pediram que o juiz federal Sérgio Moro condene a jornalista Claudia Cruz, esposa do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), por lavagem de dinheiro e crimes contra o sistema financeiro; além da pena de prisão em regime fechado, os procuradores também pedem uma multa mínima para reparar os danos causados ao erário público no valor de R$ 7 milhões; prisão da mulher poderá ser a gota d’água que  faltava para Cunha delatar a cúpula do governo Michel Temer e abrir a caixa-preta do golpe; Moro deverá anunciar a sentença sobre o caso nas próximas semanas

Brasil 247

Os procuradores que atuam na Operação Lava Jato pediram que o juiz federal Sérgio Moro condene a jornalista Claudia Cruz, esposa do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), por lavagem de dinheiro e crimes contra o sistema financeiro. Moro deverá anunciar a sentença no processo em que ela responde, juntamente com o ex-presidente da Petrobras Jorge Zelada, nas próximas semanas.

A condenação de Claudia Cruz foi baseada no não declarado em contas no exterior. Ela afirma que jamais teve conhecimento das movimentações de recursos ilegais feitas por Cunha. “É claro que Cláudia Cruz, pessoa bem esclarecida, sempre teve conhecimento de que o salário de Eduardo Cunha, como servidor público, jamais seria capaz de manter o elevado padrão de vida por eles mantido”, dizem os procuradores na petição.

“Cláudia Cruz não foi simples usuária dos valores, mas coautora de Eduardo Cunha em lavar os ativos mediante manutenção de conta oculta com os valores espúrios, cuja abertura foi assinada por ela, bem como por converter os ativos criminosos em bens e serviços de altíssimo padrão”, completam.

Leia::  Estrela da lista de Fachin: como funcionava o esquema de Aécio na Cidade Administrativa de MG

Além da pena de prisão em regime fechado, os procuradores também pedem uma multa mínima para reparar os danos causados ao erário público no valor de R$ 7 milhões. Para os demais réus, réus Jorge Zelada, João Henriques e Idalécio Oliveira a multa estabelecida pelo MPF foi de R$ 240 milhões.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *