O pato pateta bateu a panela…

Por Fernando Brito, Tijolaço

Essa é para a turma do pato da Fiesp. Está na Folha:

O relator da reforma tributária na Câmara dos Deputados, Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR), defendeu nesta terça-feira (21) a recriação da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira).
A recriação do tributo que foi extinto em 2007 chegou a ser defendida pelo governo de Dilma Rousseff. Segundo Hauly, a CPMF substituiria o IOF (Imposto sobre Operação de Crédito) e teria alíquota semelhante, de 0,38%.
Para ele, o IOF é um tributo “nocivo”, que atinge o crédito no país, e o valor da CPMF seria “mínimo”. “É mínimo. No peso cem, ela daria 3% ou 4% da arrecadação nacional”, disse

E é mínimo mesmo, sobretudo se for fixado um piso de isenção, que evitasse a cobrança para quem movimenta três ou quatro mil por mês, aplicando-se a alíquota apenas sobre o que excedesse a este valor.
Exatamente como propôs Lula e foi rejeitado, entre outros, por este cidadão que agora faz a proposta.
Muito mais que a questão tributária – o IOF representa muito pouco nas operações de crédito para o cidadão comum, diante das taxas monstruosas que se cobra por financiamentos – o que está em questão é a coerência desta gente que fez terrorismo com o discurso de que “a Dilma vai ressuscitar a CPMF”.
Os patos batem panela, mas agora vão para ela, pelo bico dos tucanos.
Leia::  Lista de Fachin confirma golpe dos corruptos contra presidente honesta

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *