O piti de Doria em entrevista ao Valor mostra o truculento que vive sob o botox

Propaganda de patrocinador do Lide na prefeitura. Pode?
por Kiko Nogueira, DCM

Aos poucos, o prefeito de São Paulo João Doria vai revelando uma faceta que estava parcialmente escondida sob o botox e o marketing: o autoritarismo e a dificuldade em lidar com o contraditório.

Durante o Carnaval, numa visita em Pinheiros, chamou um folião para a briga. Xingou-o de “Lula”, personagem pelo qual nutre uma fixação mental e oral estranha, e foi contido por assessores, que o meteram no carro oficial.

Agora ele perdeu a cabeça numa entrevista com três repórteres do Valor, Cristiane Agostine, Ricardo Mendonça e Maria Cristina Fernandes.

Acostumado à sabujice da mídia, Doria não conseguiu se controlar diante de perguntas que precisavam ser feitas com relação à desfaçatez com que ele trata a coisa pública.

Foi questionado sobre o ridículo merchan que fez das vitaminas de um amigo dono da Ultrafarma, patrocinador de sua empresa, numa reunião com secretários. A coisa foi toda filmada pela equipe de Doria.

Ele aparece recomendando os produtos com um papo vagabundo de camelô. No final, seu vice, o boboca Bruno Covas, faz um patético joinha no pior estilo “eu recomendo”.

Doria, no entanto, não admite qualquer questionamento sobre as palhaçadas. Transcrevo um trecho da reportagem do Valor:

Valor: O sr. gravou e divulgou vídeo em rede social que causou polêmica, aquele em que faz propaganda da Ultrafarma num ambiente público, ao lado dos secretários…

Doria: Não citei a Ultrafarma, apenas as vitaminas. Que mal tem isso?

Valor: Não tem um conflito de interesse, o senhor mostrando as marcas, os medicamentos?

Doria: Qual é o conflito de interesse?

Valor: A Ultrafarma é patrocinadora do Lide [Grupo de Líderes Empresariais, empresa fundada por Doria e hoje controlada por seu filho] e o sr. está fazendo propaganda num ambiente público…

Doria: A empresa está fazendo doação, não tem dinheiro público. Não estamos gastando um centavo com eles. A vitamina é o de menos, eles estão fazendo uma ampla doação de medicamentos dentro desse programa. Qual é o mal? Não tem conflito de interesse [O prefeito eleva o tom de voz e ameaça encerrar a entrevista].

 

Leia::  Desmonte da CLT toma chinelada histórica em enquete do próprio Senado

No Sambódromo, após JD ser mandado tomar no c…, seus estafetas declararam que aquilo era coisa de “maloqueiros”. Bobagem culpa-los totalmente pela ignorância. Estão imitando e tentando proteger um populista truculento e mimado.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *