Odebrecht-Globo: quanto a Globo levou?

Por que só para obter o apoio da Globo o Emílio não deu grana?

Vai pra cima dela, Meirelles… Vai!

por Paulo Henrique Amorim, Conversa Afiada

A história da sociedade da Globo com a Odebrecht para obter decisões no governo FHC deve ter tráfico de influência.

Será que somente naquela sociedade a Odebrecht teria atuado dentro da legalidade?

“Legalidade” para influenciar decisões…

Decisões importantíssimas – quanto o Emílio estaria disposto a pagar por elas?

E ter a Globo em sua companhia?

O Ataulpho Merval, a Cegonhóloga, o Elio Gaspari dos múltiplos chapéus

Isso não teria preço!

Muito menos para um Odebrecht!

Se Emílio e Marcelo dizem que tinham que pagar propina para tudo, por que somente naquela sociedade com a Globo não pagaram?

E justamente numa área que envolvia “influenciar decisões governamentais” para privatizar a telefonia (que tem detalhes sórdidos, dantescos) e petróleo (idem) – as jóias máximas da Coroa fernandiana?

Quanto custou a “Petrobrax” aos Odebrecht?

Quanto custou o apoio da Globo a uma estratégia que resultou, enfim, na construção da Braskem, associada à Petrobras – e a Braskem era e é a empresa mais lucrativa da Odebrecht?

Vamos abrir a caixa preta dessa desinteressada relação Globo-Odebrecht.

Como se sabe, não há petroquímica – nem telefone – de graça!

Advogado a serviço da causa “vamos botar os filhos do Roberto Marinho na cadeia”, onde receberão a generosa visita do Senador Requião.

Em tempo: não será essa a única prova robusta da roubalheira da Globo Investment Overseas BV.

Basta seguir a trilha do Garotinho, naquela entrevista que durou um minuto na Globo.

Ou o raciocínio do Zanin, quando tratou o Merval de Ataulpho.

Leia::  A versão dos advogados de Lula sobre depoimento, ao vivo

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *