STF mantém Lula preso sem crime e liberta traficantes

por Ribamar Fonseca, Brasil 247

O ex-ministro Ciro Gomes conseguiu montar um esquema poderoso de pressão para obter o apoio de Lula e do PT à sua candidatura à Presidência da República. A mais recente voz a se levantar a seu favor é a do seu conterrâneo, o governador cearense Camilo Santana, que afirmou ter convicção de que Lula não conseguirá concorrer às eleições presidenciais deste ano. E defendeu a candidatura de Ciro, dizendo que “sem dúvida nenhuma ele é o principal nome para unir as esquerdas e garantir as conquistas sociais alcançadas durante os 12 anos do PT no poder”. Ninguém sabe de onde Camilo tirou essa convicção, porque legalmente Lula ainda pode ser candidato mesmo encarcerado. Na verdade, ninguém acredita que essa Justiça que está aí, escandalosa e vergonhosamente parcial, que persegue o ex-presidente em todas as instâncias – só ainda não o condenou à morte porque essa pena não existe no Brasil – será capaz de anular a sua condenação injusta e libertá-lo, mas até que haja uma decisão formal sobre sua situação eleitoral ele deve permanecer candidato. Conforme já foi dito antes, desistir agora seria suicídio político.

No panorama atual Ciro até pode ser um bom candidato, mas ao contrário do que dizem ele não tem perfil de esquerda. Somente o fato de criticar o governo Temer não o credencía como candidato de esquerda, pois Bolsonaro também o faz e todo mundo sabe ser ele da ultradireita. Na realidade, afora Lula, os únicos pré-candidatos nitidamente da esquerda até agora colocados na mesa são Guilherme Boulos e Manuela Dávila, cujas posições assumidas publicamente não deixam dúvidas quanto ao pensamento e compromissos de ambos. Como Ciro critica todo mundo, inclusive Lula, ninguém conseguiu ainda localizá-lo no quadro ideológico. Além disso ele perdeu a confiança dos eleitores petistas ao não se solidarizar com o ex-presidente, pelo menos condenando a sua prisão, e ao fazer declarações inoportunas que ofenderam o PT. E mais: se deseja o apoio de Lula e do PT ele é que deve correr atrás de ambos, pois quem tem a maioria dos votos é precisamente o ex-presidente e o seu partido. Houve, portanto, uma inversão de posições. Afinal, quem precisa de quem?

Leia::  Sociedade de castas: STF decide que servidor público pode ganhar mais de 33,7 mil reais

Enquanto Ciro só quer os votos dos petistas, sem nenhum compromisso com a luta pela libertação de Lula, o líder petista continua sendo perseguido por magistrados de todo canto, o que confirma a suspeita de que há uma determinação interna no Judiciário para que ele seja impedido de concorrer às eleições presidenciais deste ano. Agora foi a vez do juiz federal Haroldo Nader, da 6a. Vara Federal de Campinas, que determinou a suspensão dos benefícios a que ele tem direito, como ex-presidente da República: quatro seguranças, dois motoristas e dois assessores. O magistrado, a exemplo de outros dos seus colegas nas diversas instâncias que também tomaram decisões contrárias ao ex-presidente, conseguiu ampliar a perseguição. Como Lula não tem praticamente mais nada, pois o juiz Sergio Moro confiscou-lhe todos os bens – e sequer lhe repassou o dinheiro do leilão do triplex que afirma ser dele – depois da decisão do juiz de Campinas parece que só falta lhe tirarem a comida, o ar que respira e as calças. Não conseguirão, porém, arrancar do seu coração o amor pelo Brasil e seu povo e muito menos a sua disposição de voltar ao Palácio do Planalto.

A descarada perseguição da Justiça a Lula e aos petistas, vista de todo o planeta, a cada dia fica mais nítida até para os adversários do ex-presidente e do PT. José Dirceu, outra vítima de perseguição da Justiça, foi condenado a 30 anos de prisão sem nenhuma prova. Do mesmo modo, Lula está preso sem ter praticado nenhum crime. E enquanto os dois estão encarcerados sem base legal, o mesmo STF que autorizou a prisão de ambos solta Paulo Preto, operador do PSDB acusado de desviar mais de R$ 100 milhões dos cofres públicos, e, também, 11 narcotraficantes internacionais. Essa é a Justiça brasileira, que suprimiu a presunção de inocência e a exigência de provas para condenar Lula e seus companheiros do PT, cuspindo na Constituição e extinguindo as garantias constitucionais. O mais surpreendente é que todos os que condenaram Lula nas diversas instâncias, incluindo os ministros da Suprema Corte, sabem que o ex-presidente foi vítima de uma armação grosseira do juiz Sergio Moro e dos procuradores da Lava-Jato para torna-lo inelegível, mas ainda assim, sem nenhum pudor, confirmam a sua condenação com sofismas. E vão entrar para o mesmo lugar da História – a lata de lixo – para onde entraram os juízes que permitiram o banimento do país do Imperador Pedro II e autorizaram a entrega de Olga Benário aos alemães para ser executada.

Leia::  Zé Simão: decisão do decano foi desaforo privilegiado

A História, porém, ainda está sendo escrita, agora em meio ao silêncio das panelas e à ausência dos “camisas amarelas”, que estão envergonhados ou, então, esperam novas ordens do MBL (Movimento dos Bobalhões Livres) para sair às ruas. Como nada é eterno, um dia, que esperamos seja nas eleições de outubro vindouro, esse panorama vai mudar. Mesmo que os golpistas, sem candidatos para manter o status quo, consigam suspender as eleições, chegará o dia em que a situação do país mudará, porque não há mal que dure para sempre. Espera-se, no entanto, que as mudanças aconteçam com Lula no Palácio do Planalto, porque somente ele, com seu carisma, popularidade e prestígio internacional, pode recolocar o Brasil nos trilhos do desenvolvimento, devolver ao povo a alegria de viver e reocupar o espaço de destaque no concerto das nações. Afinal, se Deus é brasileiro já está passando da hora d’Ele intervir.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *